ARTIGOS

Adote o arroz integral: Saiba os seus benefícios

arroz-integral-602x267.jpg

Benefícios do arroz integral

Se você não consegue deixar o arroz branco e optar pelo integral, é hora de reavaliar o seu conceito. Uma pesquisa realizada na Universidade Tufts, nos Estados Unidos, mostrou que o alimento é um grande aliado para reduzir a gordura abdominal e controlar a diabetes.

Os pesquisadores examinaram a alimentação de 2.800 participantes. Aqueles que consumiam pelo menos três porções do cereal e não abusavam dos refinados apresentavam até 10% menos gordura visceral, aquela que se deposita além da barriga e recobre alguns órgãos.
Assim, o primeiro efeito significativo é a diminuição das medidas do abdome. Indo além, é possível perceber benefícios no coração, pois quanto menos células de gordura, menor o risco de inflamação nas artérias.

E tem mais benefícios: por seu alto teor de fibras, o arroz integral deixa a digestão mais lenta, fazendo com que o açúcar que vem dos alimentos seja absorvido lentamente. Resultado: como a insulina fica sob controle, o alimento modera a diabetes e ainda reduz a gordura do abdome, já que ela é o hormônio responsável por inflar as células dos “pneuzinhos”.

A pesquisa revelou ainda mais: o cereal reduz a probabilidade de aparecimento de tumores.

Veja a diferença entre o arroz branco e o integral:

A principal diferença entre o arroz branco e o integral está na casca. É ela a fonte de todos os nutrientes que fazem a diferença na nutrição, entre eles proteínas, fósforo, ferro, cálcio e vitaminas do Complexo B.

O teor de fibras é o diferencial desse tipo de arroz em relação aos demais. Isso porque quanto maior o seu valor, menor a quantidade de glicose e lipídios absorvidos. Consequentemente, menos gordura vai se depositar em seu abdome. E elas ainda combatem a constipação intestinal, quando ingeridas regularmente.

O alimento também é bom para combater a queda de cabelo, para a pele e unhas, pois ele contém metionina, um aminoácido essencial. Também é fonte de magnésio, potássio e orizanol, este último um potente antioxidante.

A presença da vitamina B1 protege o sistema nervoso e os outros nutrientes do arroz integral trazem benefícios como a melhora do metabolismo da contração muscular (ótima para atletas).

Mas lembre-se: para benefícios adicionais não podemos esquecer de outras fontes de fibras como frutas, verduras e outros grãos integrais que são fundamentais para o controle da fome, do peso, para a redução da absorção do colesterol.

Água: quanto você precisa ingerir por dia?

copo_de_agua.jpg

O quanto de água devemos ingerir por dia?

Muita gente acha que 2 litros de água deve ser ingerido por dia, mas isso, de fato, não é correto. Mas por quê?

Na realidade, devemos ingerir entre 1 a 2 litros de água por dia, segundo os médicos, por segurança. Mas cada organismo possui uma cota mínima diferenciada, dependendo do seu dia-a-dia. Há muita diferença entre o gasto de água de quem vive andando na rua, pratica esportes e o de uma pessoa que trabalha sentada, segundo fisiologistas.

Mas como os médicos chegaram a essa quantidade de 2 litros? O corpo de um adulto gasta em 24 horas uma média de 2 litros de água em funções como digestão, respiração, transformação dos nutrientes em energia e também por meio do suor e da urina. E é desse cálculo de gastos que vem a quantidade de água indicada.

O importante é manter a homeostase do corpo, que é seu estado de equilíbrio. Ou seja, o que foi consumido precisa ser reposto. Essa é a tese. Porém, não se pode generalizar. Cada pessoa deve beber a quantidade adequada para o seu caso e o seu estilo de vida. Afinal, o metabolismo, a estrutura corpórea, o tipo de exercício físico e até o clima são variáveis que precisam ser levadas em conta, segundo o fisiologista Paulo Zogaib, do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, que também é especialista em medicina esportiva.

E como calcular o gasto diário de líquido? Para ter uma noção mais precisa, a pessoa deve se pesar no começo do dia e depois de 2 horas de trabalho. A diferença representa o quanto foi consumido de água nas funções rotineiras, exemplo: se você perdeu 80 gramas, vai ter que repor 80 ml de água. Ou seja, a cada grama corresponde 1 mililitro. Como um copo de água equivale a cerca de 200 mililitros, faça a conta. Quem pratica atividade física deve subir na balança antes e depois da malhação. E, se beber água nesse período, tem que deduzir a quantidade ingerida do resultado final. Some também a água embutida em outras bebidas, como sucos, e nos alimentos. Exemplo, uma fatia de melancia tem 90% de pura água.

Quem tem uma dieta balanceada e não faz exercício pode cortar aquela recomendação de 1 a 2 litros pela metade.

Em todo caso, o organismo humano dispõe de um mecanismo natural, a sede, que evita a desidratação, o que não quer dizer que tenhamos que esperar a vontade de beber para podermos nos hidratar.

A cor da urina também é reveladora: se ela estiver bem clarinha, a hidratação está em dia.

E atenção: água de menos faz mal. Quando não temos uma boa hidratação, a evacuação fica mais difícil e o volume de urina diminui. Mais à frente, a pele, os cabelos e os olhos ficam ressecados. O próximo sinal da falta de água é o aumento do cansaço e da sonolência e a diminuição de concentração, que indica uma queda no fluxo de oxigênio.

E se a falta de água faz mal à saúde, água em demasia pode sobrecarregar o sistema urinário. A pessoa acaba tendo que pôr a sobra para fora e a urina leva embora uma quantidade muito grande de sais minerais, vitaminas do complexo B e sódio. Cerca de 3 litros ou 50% acima do que foi perdido já é excesso.

 

Perigo para os atletas

Um estudo publicado pela Universidade Harvard, nos Estados Unidos, e divulgado pela imprensa, deixou muita gente com medo. Ele dava conta de que água em excesso pode causar hiponatremia, distúrbio que provoca inchaço do estômago, vômito, fadiga extrema, perda de concentração e até a morte. Trata-se de uma combinação perigosa: a perda de sódio pelo suor exagerado durante a prática de esporte e a ação da água em abundância, que dilui ainda mais a substância. Déficit de sódio é coisa séria. O mineral mantém o volume dos líquidos corporais, atua na contração muscular e ajuda a absorver a glicose. A notícia deve alterar somente os conceitos de hidratação dos atletas. Quem faz atividade física normal não corre esse risco, até porque dificilmente vai tomar muita água, como fazem os esportistas.

Dormir muito pouco ou demais faz mal à saúde

Dormir-pouco-aumenta-risco-doença-cardio

Dormir demais ou muito pouco faz mal ao coração

Segundo um estudo feito nos EUA, dormir menos de 6 horas ou mais do que 8 pode desencadear um aumento significativo no risco de doença cardiovascular.

Aqueles que dormem menos de 6 horas por noite poderiam ter o dobro do risco de sofrer de um ataque cerebral ou infarto. A possibilidade de insuficiência cardíaca aumenta igualmente 1,6 vez.

Ao contrário, os que dormem mais de 8 horas por noite veem dobrar o risco de sofrer angina de peito, enquanto que o de desenvolver doença coronariana, ou aterosclerose coronariana, aumenta 1,1 vez.

Cientistas estudaram 3.019 pessoas, com mais de 45 anos, que participaram da National Health and Nutrition Examination Survey (pesquisa nacional sobre nutrição).

Outra observação feita, foi de que o sonho pode ter um impacto na saúde cardíaca.

É o primeiro estudo com amostragem nacional representativa da população americana que estabelece uma relação entre a duração do sono e a saúde cardiovascular.

As conclusões do estudo foram apresentadas na 61ª conferência anual do American College of Cardiology, reunido em Chicago, Illinois.

História da Natação – Início, evolução, benefícios, modalidades, recreação

história_natacao.jpg

“Natação é a capacidade do homem e de outros animais de se deslocarem através de movimentos efetuados no meio líquido, geralmente sem ajuda artificial. A natação é uma atividade que pode ser simultaneamente útil e recreativa. As suas principais utilizações são recreativas, balneares, pesca, exercício e desporto.”

História da Natação

A natação é conhecida desde tempos pré-históricos, o registro mais antigo sobre a natação remonta às pinturas rupestres de cerca de 7.000 anos atrás. As referências escritas remontam a 2000 a. C. Algumas das primeiras referências estão incluídas em obras históricas como a Epopeia de Gilgamesh, a Ilíada, a Odisseia, a Bíblia (Ezequiel 47:5, Atos 27:42, Isaías 25:11), Beowulf, e outras sagas. No ano de 1538, Nikolaus Wynmann, um professor alemão de linguística, escreveu o primeiro livro sobre natação, “O Nadador ou o diálogo sobre a arte de Nadar” (Der Schwimmer oder ein Zwiegespräch über die Schwimmkunst). A natação de competição na Europa começou por volta do ano de 1800, na sua maioria utilizando o estilo bruços. Posteriormente em 1873 John Arthur Trudgen, apresentou o estilo Trudgen, após ter copiado o estilo Crawl usado pelos Índios Nativos Norte-americanos, criando uma ligeira variante do mesmo. Devido ao repúdio dos britânicos pelos salpicos, Trudgen empregou a pernada de bruços no lugar do batimento de pernas convencional do crawl. A natação fez parte dos primeiros Jogos Olímpicos da era moderna em 1896, em Atenas. Finalmente em 1902 Richard Cavill introduziu o crawl e em 1908, foi fundada a Federação Internacional de Natação (FINA). O estilo mariposa foi desenvolvida na década de 1930, que no início surgiu como uma variante do estilo de bruços, até que foi aceite como um estilo distinto, em 1952.


Benefícios

Por movimentar praticamente todos os músculos e articulações do corpo, a prática da natação é considerada um dos melhores exercícios físicos existentes trazendo ótimos benefícios para o organismo, além de ser recomendada para pessoas com problemas respiratórios, também é a única atividade física indicada para menores de 3 anos.
 

Recreação

Como atividade recreativa, a natação é muito difundida. Muitos nadadores entram na água apenas para se divertir, tanto em piscinas artificiais como nos mares, lagos e rios.

Embora os estilos de natação também sejam utilizados no lazer, é muito comum que os nadadores recreativos utilizem estilos menos técnicos, geralmente mantendo a cabeça fora de água.

Modalidades

Existem algumas modalidades distintas na especialidade de natação.

Natação pura
Polo aquático
Saltos para a água
Águas abertas
Natação sincronizada
Masters
Mergulho Aquático
Travessias
Aquathlon
Maratonas aquáticas

 

Site da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos

Fonte: wikipedia

Natação X Fitness

A Natação é a única atividade relacionada ao fitness que cruza todas as faixas etárias, desde Bebês a Adultos da 3ª idade, além do nível de habilidade ( iniciante, intermediário, avançado) pode ser praticada como esporte competitivo, terapia ou simplesmente como uma forma de relaxamento para aliviar o stress do dia-a-dia, ou seja, tudo que brasileiro precisa nos dias atuais. É uma ótima opção de atividade física para que você saia do sedentarismo. A água é um elemento importante para o nosso equilíbrio emocional e psíquico, é uma ampliação do mundo com o qual estamos acostumados. Sua natureza envolve nosso corpo, altera nosso ritmo respiratório e também a visão, audição e tato; o corpo adquire outro peso e a sua movimentação novas formas.
 

Mais Sobre os Benefícios da Natação

1- Melhora a postura, alongando e fortalecendo toda a musculatura;

2- Aumenta a capacidade respiratória;

3- Aumenta a resistência do organismo;

4- Ajuda na prevenção e recuperação de algumas doenças, como hipertensão, asma, bronquite, problemas ortopédicos…;

5- Ativa o sistema neuro-muscular;

6- Relaxa e combate o stress